Sete deputados de MT votam para livrar Temer de investigação; só Ságuas contra

0
199

Deputados Victório Galli e Carlos Bezerra foram contra prosseguir  a investigação

Dos oito deputados federais de Mato Grosso, sete votaram contra a autorização para o Supremo Tribunal Federal (STF) processar o presidente da República, Michel Temer (PMDB), por corrupção passiva. A denúncia foi formulada pela procuradoria geral da República (PGR) com base na delação do executivo da JBS, Joesley Batista.

Os deputados federais Adilton Sachetti (PSB), Carlos Bezerra (PMDB), Ezequiel Fonseca (PP), Fabio Garcia (PSB), Nilson Leitão (PSDB), Rogério Silva (PMDB) e Victório Galli (PSC) votaram contra a autorização para o STF processar Temer. Somente Ságuas Moraes (PT) foi favorável.

Todos tiveram apenas 15 segundos para expressar o voto. Sachetti e Fabio, que contrariaram a orientação do PSB, foram tímidos e disseram apenas sim ao relatório.

Problema técnico no microfone impediu Bezerra de se manifestar. O som foi restabelecido somente quando o peemedebista expressou o voto sim.

Ezequiel declarou “pela estabilidade econômica, pela estabilidade política, sim ao relatório do PSDB”.

Já Leitão disse “voto em nome da economia do Brasil que gera emprego e gera renda, em nome da responsabilidade, meu voto é sim ao relatório”.

Galli lembrou das bandeiras da bancada evangélica que representa votando “pelo progresso do país, pela nossa liberdade religiosa e pela não implantação da ideologia de gênero nas escolas e pelo nosso Mato Grosso que é o maior produtor de grãos”.

Para Rogério “se o presidente Michel Temer cometeu ilícito penal vai pagar na hora certa. Pela estabilidade econômica, meu voto é sim”.

Único favorável à investigação no STF, Ságuas falou: “meu voto é pela abertura do processo de investigação onde o presidente Michel Temer cometeu ato de corrupção iniciado nos porões do Palácio do Jaburu, na calada da noite, e concluído numa pizzaria em São Paulo. Meu voto é não. Fora Temer”.

Bezerra, Ezequiel, Rogério, Ságuas e Galli seguiram a determinação dos seus partidos. O PSDB de Leitão, apesar de orientar voto contra Temer, liberou a bancada para se posicionar.

Os deputados federais estão sendo chamados começando por um estado do Norte, seguido por um estado do Sul – e vice-versa, prosseguindo assim, sucessivamente, pelos demais estados e pelo Distrito Federal. Mato Grosso ficou no meio da listagem.

Após a chamada de todos os parlamentares de um estado, são chamados os ausentes. Se houver pelo menos 342 votantes, o resultado poderá ser proclamado. Caso esse número não seja atingido, outra sessão será convocada, para nova votação.

Resultado

Caso o plenário siga o entendimento da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), contrário à abertura de processo contra o presidente no STF, o caso será suspenso e só poderá ser analisado pela Justiça quando Temer deixar o cargo.

Para derrubar o parecer da CCJ, pelo menos, 342 deputados precisam votar contra o parecer. Nesse caso, o Supremo fica autorizado a analisar a denúncia.

Se o processo for aberto, o presidente da República é afastado por 180 dias. Decorrido esse prazo, se o julgamento não estiver concluído, o presidente retorna ao cargo, sem prejuízo da continuidade do processo no STF.

 

Fonte: RD News

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here